100 (Cem ) anos de solidão - Resenha Resumo

Cem Anos de Solidão (1967) é uma obra do escritor colombiano Gabriel García Márquez (Prémio Nobel da Literatura em 1982). 
-
O modo de escrita é extremamente rico, preciso e contemplativo, capaz de traçar e desvendar com exatidão as mais complexas personalidades, relações humanas e beleza dos cenários. O Autor consegue fornecer ao leitor elementos quase que perfeitos para o imaginário. 
-
Exatamente por permitir ao eleitor uma imaginação precisa (sensorial) e mágica, Cem Anos de Solidão é um livro de deleite, para ser lido pelo simples e puro prazer, tal como se faz com um filme, seriado, novela ou afim. Aliás, deste livro poderia surgir facilmente qualquer uma dessas espécies.


-

Cem Anos de Solidão x Realismo Mágico

-
Cem anos de Solidão se enquadra no estilo do realismo mágico. Elementos mágicos ou fantásticos compõem o cotidiano e os próprios personagens, sob o contexto da naturalidade e intuição. A realidade é tratada sob o ponto de vista das “sensações” que surgem de cada personagem. 
-
No realismo mágico o tempo é como uma roda, é cíclico, não linear, com distorções entre passado e presente. Não raras vezes passado e presente se confundem, neste ponto reside o aspecto da intuição. 
-
“Amaranta sentiu um tremor misterioso nas rendas das suas anáguas e tratou de se agarrar no lençol para não cair, no momento em que Remedios, a bela, começava a ascender. Úrsula, já quase cega, foi a única que teve serenidade para identificar a natureza daquele vento irremediável e deixou os lençóis à mercê da luz, olhando para Remedios, a bela, que lhe dizia adeus com a mão, entre o deslumbrante bater de asas dos lençóis que subiam com ela, que abandonavam com ela o ar dos escaravelhos e das dálias e passavam com ela através do ar onde as quatro da tarde terminavam, e se perderam com ela para sempre nos altos ares onde nem os mais altos pássaros da memória a podiam alcançar.”
-

Cem Anos de Solidão x Macondo

-
Cem Anos de Solidão tem como cenário a aldeia chamada Macondo. A história é contado a partir deste lugar peculiar. 
-
“Macondo era então uma aldeia de vinte casas de barro e taquara, construídas à margem de um rio de águas diáfanas que se precipitavam por um leito de pedras polidas, brancas e enormes como ovos pré-históricos. (...) José Arcadio Buendía, que era o homem mais empreendedor que se poderia ver na aldeia, determinara de tal modo a posição das casas que a partir de cada uma se podia chegar ao rio e se abastecer de água com o mesmo esforço; e traçara as ruas com tanta habilidade que nenhuma casa recebia mais sol que a outra na hora do calor. Dentro de poucos anos, Macondo se tornou uma aldeia mais organizada e laboriosa que qualquer das conhecidas até então pelos seus 300 habitantes. Era na verdade uma aldeia feliz, onde ninguém tinha mais de trinta anos e onde ninguém ainda havia morrido”
-
A aldeia Macondo tem seu crescimento, estagnação e decadência diretamente relacionada a prosperidade ou fim da família Buendía. 
-
Abaixo Macondo  em seu Auge:  

-

Cem Anos de Solidão x Família Buendía


Cem Anos de Solidão reflete a história da familia Buendia cujos entes tem por característica essencial a solidão ou modo solitário de vida: 
-
“Então o Coronel Aureliano Buendía tirou a tranca e viu na porta dezessete homens dos mais variados aspectos, de todos os tipos e cores, mas todos com um ar solitário que teria bastado para identificá-los em qualquer lugar da terra. Eram os seus filhos. Sem combinar nada, sem se conhecerem, tinham chegado dos mais distantes lugares do litoral, cativados pelo barulho do jubileu. Todos usavam com orgulho o nome de Aureliano e o sobrenome da mãe.”
-
Cem Anos de Solidão contém uma gama variada e numerosa de histórias familiares, cada qual com sua singularidade, mas ao mesmo tempo com ligação com a essencial à família Buendía: 
-
"... a história da família era uma engrenagem de repetições irreparáveis, uma roda giratória que teria continuado dando voltas até a eternidade, se não fosse o desgaste progressivo e irremediável do eixo."
-
No Livro está presente árvore genealógica da família Buendía para que o leitor possa ter uma visão geral da longa e numerosa estirpe:


-
Por se tratar de uma história de numerosos personagens, com nomes repetidos e combinados, a tendência é que o leitor se confunda. Certamente esta “confusão” foi o efeito pretendido pelo autor, para intensificar a ideia de tempo cíclico (fatos que se repetem), também para ressaltar a mágica ligação  entre os Buendía (intuição).

Cem Anos de Solidão x América Latina


Macondo é uma aldeia remota da América Latina que embora pequena consegue refletir ou sintetizar todo o espírito latino americano, isto é, o isolamento e solidão em relação ao mundo (periferia do capitalismo), o subdesenvolvimento, a corrupção, a instabilidade política e a sujeição de sua economia...

“Macondo estava em ruínas. Nas imensas poças d’água das ruas restavam móveis despedaçados, esqueletos de animais cobertos de lírios colorados, últimas recordações das hordas de aventureiros que fugiram de Macondo tão atarantados como haviam chegado. As casas levantadas com tanta urgência durante a febre da banana tinham sido abandonadas. A companhia bananeira desmantelara suas instalações. Da antiga cidade cercada só restavam os escombros”.

Por outro lado, as múltiplas facetas da família Buendía está ligada a identidade do povo latino americano, suas esperanças, suas decepções, suas glórias e sua decadência. 
-

Descrição de Personagens

-
Primeira Geração

José Arcadio Buendía: Patriarca da família Buendía e fundador da cidade de Macondo, casou-se com sua prima Ursula Iguaran aos 19 anos . Homem empreendedor, de caráter forte , alimentado por sonhos extravagantes ,interessava-se por física , alquimia e mecânica . O cigano Melquíades o colocava a par das novidades que descobria ao longo das suas viagens pelo mundo. Após ter enlouquecido foi amarrado a uma árvore na qual permaneceu preso, mesmo após ter sido libertado das cordas que o amarravam.

-Úrsula Iguarán: Matriarca da família Buendía-Iguarán , prima e esposa de José Arcadio Buendía . Úrsula é uma mulher que batalha por sua família sem medir esforços, possui um comportamento forte e busca o bem estar de todos; por isso sofre constantemente ao ser a "voz da razão de uma familia de loucos", como ela mesmo afirma. Parece ter em seu destino a luta pelos homens da família. É uma personagem muito forte no livro, onde em todas as fases está caracterizada pela sua presença e só para de sê-la quando a idade não permite mais. Vive entre 100 e 120 anos.

-Segunda Geração-

José Arcadio: Filho mais velho de José Arcádio Buendía e Úrsula, é batizado com o nome do pai. Mantém relações com Pilar Ternera, a quem abandona grávida. Foge com os ciganos em razão de paixão repentina por uma cigana e volta só muito tempo depois. Quando reaparece, é homem forte, com tatuagens, falando a língua de marinheiros e gabando-se por ter navegado os quatro cantos do mundo. Casa-se com sua irmã de criação, Rebeca. Morre com assassinado com um tiro que ninguém sabe como e por quem foi dado.

-Aureliano: Segundo filho de José Arcádio Buendía e Úrsula - é batizado com o nome do Avó - Pai de José Arcádio. Se envolve com a política ao tentar impedir o Sr. Apolinar Mascote de pintar todas as casas de azul a mando do governo. Conhece Remedios Moscote e se apaixona. Casam-se apesar da grande diferença de idade. Mais tarde, torna-se Coronel Aureliano Buendía, ao participar da guerra ao lado dos liberais. Morre sozinho em casa, muitos anos depois, fazendo peixinhos de ouro.

-Amaranta: Terceira filha de José Arcádio Buendía e Úrsula. Se apaixona por Pietro Crespi, assim como sua irmã de criação, Rebeca. Esta arruma seu casamento, enquando Amaranta tenta interrompê-lo. Rebeca desmancha o noivado e se casa com seu irmão de criação José Arcadio. Pietro Crespi se apaixona por Amaranta, que mesmo apaixonada, não o dá esperanças. Tem uma relação amorosa com Aureliano José, seu sobrinho (filho do Coronel Aureliano com Pilar Ternera). Ao fim, mantém uma amizade com o Coronel Gerineldo Márquez, mas o esnoba. Morre virgem e com uma atadura na mão que carrega por boa parte da vida, fruto de uma queimadura em penitência que ela faz consigo mesma após o suicídio de Pietro Crespi.

-Terceira Geração-Arcadio: Filho de José Arcadio com Pilar Ternera. Morre tentando fazer um revolução liberal em Macondo. Tem três filhos com Santa Sofia de La Piedad: Remédios a Bela e os Gêmeos Aureliano Segundo e José Arcádio Segundo.

-Aureliano José: Filho de Aureliano com Pilar Ternera, é morto com um tiro nas costas ao sair correndo de uma peça teatral, depois de desacatar um coronel em plena guerra.

-17 Aurelianos: Durante suas 32 guerras civis , o coronel Aureliano Buendía tem 17 filhos com 17 mulheres diferentes, sendo que com cada uma passou apenas uma noite .Em certo momento , a casa dos Buendía é visitada por 17 mulheres diferentes solicitando a Úrsula batizar seus filhos, a qual os batiza com o nome de Aureliano. Em uma noite, 16 deles são assinados. O último é assinado muitos anos depois, ao ter seu pedido de abrigo negado por Aureliano Babilonia.

-Quarta Geração

Remédios, a Bela: A mulher mais bonita que existiu no mundo , mesmo podendo ter qualquer homem para si não se envolveu com nenhum dos que a seguiam e dos que morreram por ela. Chamada no livro de Remedios, a bela, é uma garota que cresceu sem malícias ou pensamentos complexos. Queria apenas viver, comer, dormir.Não entendia por que as pessoas complicavam a vida. Achava natural andar nua e ria na cara dos homens que a pediam em casamento. Certo dia, sobe aos céus.

-José Arcadio Segundo: José Arcadio Segundo é irmão gêmeio de Aureliano Segundo, filho de Arcadio e Santa Sofía de la Piedad. Úrsula crê que ambos foram trocados na infância , pois José Arcádio possui as características do Aurelianos. Herdeiro do espírito anarquista do Coronel Aureliano Buendía, José Arcadio lidera uma greve geral do trabalhadores da companhia bananeira. Com a greve os trabalhadores são exterminados em uma estação de trem. No entanto, José Arcadio sobrevive. Os fantasmas desse dia o atormentam até o dia de sua repentina morte. Influencia Aureliano Babilônia, com a história do extermínio, a tentar desvendar os pergaminhos de Melquíades.

-Aureliano Segundo: Era esbanjador e tocava acordeão nas festas que promovia. Era receptivo mesmo com os forasteiros. Apesar de casado com Fernanda del Carpio, entranhava-se em um amor intrínseco com a cuncubina Petra Cotes, até a sua também morte repentina no mesmo instante que o irmão gêmeo, José Arcadio Segundo. No funeral , os corpos são trocados e um é enterrado na tumba do outro.

-Quinta Geração

-Amaranta Úrsula: Estudará em Bruxelas, onde se casará com um homem de posses chamado Gastón. Anos depois, volta a Macondo e se apaixona por Aureliano Babilônia, sem saber que era seu sobrinho, e têm um filho, o último dos Buendía.

-Renata Remedios (Meme): Filha de Aureliano Segundo e Fernanda, estuda para agradar sua mãe que tem sonhos aristocráticos. Ao voltar para Macondo se relaciona com Mauricio Babilônia, um caso não aprovado por sua mãe, que gerará Aureliano. Fernanda a manda para um convento, sem saber que está grávida, onde morreu sem ter dito nem mais uma palavra.

-José Acardio: Vai estudar para ser padre em Roma. Quando volta para ver sua mãe Fernanda , encontra-a morta na cama a sua espera. Permanece em Macondo e transforma a casa em um paraíso decadente. Dava festas na casa, com garotos mais novos que julgava ajudar. Em uma dessas festas se irrita e os expulsa da casa as chicotadas. Tempos mais tarde, os meninos o afogam na caixa-d'água.

-Sexta Geração

Aureliano Babilonia: Filho bastardo de Renata Remedios e Mauricio Babilônia, é confinado a viver sem sair de casa, pois Fernanda não podia aceitar a existência de um filho bastardo em sua linhagem. É levado à casa por uma freira, vindo do convento onde Renata estava. Fernanda consegue convencer a todos que ele foi deixado à porta numa cesta. Muitos anos depois, Aureliano tem um caso com sua tia, Amaranta Úrsula. É ele quem traduzirá os pergaminhos de Melquíades e quem será o pai do último Buendía, "por que as estirpes condenadas a cem anos de solidão não teriam uma nova chance na terra".

-Sétima Geração

Aureliano: Último da linhagem dos Buendía, filho de Amaranta Úrsula e Aureliano Babilônia. Nasce com o rabo de porco, pois eram da mesma família e cederam á tradição: que duas pessoas não poderiam establecer uma relação sexual, pois o filho nasceria com um rabo de porco. É levado pelas formigas ao fim do livro, concretizando as profecias de Melquíades.
-
Outros personagens 

Melquíades: Melquíades é um dos ciganos que visita Macondo, trazendo inventos e mercadorias de diversos lugares do mundo. Morreu nas dunas de Cingapura. Escreve os pergaminhos que preveem a história da família Buendía , os quais são traduzidos por Aureliano Babilônia.

-Pilar Ternera: Pilar é uma mulher alegre e decidida que habita Macondo, transformando-se na concubina dos irmãos Aureliano e José Arcádio Buendía, sendo que com cada um tem um filho (Aureliano José e Arcádio). Pilar lê e prevê o futuro nas cartas e se torna a dona de um prostíbulo.

-Rebeca: Filha adotiva de Úrsula e José Arcadio. Chega a Macondo procedente de uma cidade vizinha e traz consigo a peste da insônia. Come terra quando está desesperada. Torna-se namorada de Pietro Crespi, professor de boas maneiras , entretanto se entrega a paixão por José Arcádio, seu irmão de criação, do qual se torna esposa.

-Pietro Crespi: É disputado por Rebeca e Amaranta . Inicia um namoro com Rebeca, porém esta o troca pelo irmão de criação, José Arcádio. Em seguida, Amaranta declara seu amor por Pietro, entretanto a mesma se recusa a casar como vingança por ter preferido Rebeca . Em razão da rejeição que sofre, Pietro suicida-se .

-Maurício Babilônia: Mauricio é um aprendiz de mecânico da companhia Bananeira. Aparentemente é descendente dos ciganos e possui como peculariedade o fato de ser seguido constantemente por borboletas amarelas. Maurício namora Meme, porém Fernanda descobre o romance e trata de por um fim na relação. Maurício continua visitando a amada, mas um guarda solicitado por Fernanda o acerta com um tiro, confundindo - o com um ladrão de galinhas, sendo que em razão disso passa o resto de sua vida inválido. Meme, a qual estava grávida de Maurício, dá a luz a Aureliano Babilônia. 

-Fernanda del Carpio: Nasceu em uma cidade a muitos léguas de Macondo, filha de uma família nobre, mas empobrecida. Na infância e adolescência se dedicou aos estudos em um convento, onde foi preparada para ser rainha. Casa-se com Aureliano segundo, todavia este continua vivendo com a amante. A sua chegada na casa dos Buendía marca o princípio da decadência em Macondo. É muito perfeccionista e neurótica, sendo uma religiosa quase fanática. Ao descobrir o romance de sua filha Meme com Maurício, faz este ser baleado por uma autoridade, o que o torna inválido e para sempre temido como ladrão de galinhas. Em seus últimos dias, vive sozinha em casa com Aureliano Babilônia, seu neto a quem nunca assumiu. Morre quatro meses antes da chegada de Roma de seu filho José Arcádio.”
Descrição de Personagens via Wiki 

Um comentário:

  1. Li esse livro em 1972, em espanhol, como tarefa da faculdade em Montevidéu. Nunca esqueci a primeira página: "Muchos años después, frente al pelotón de fusilamiento, el coronel Aureliano Buendía habria de recordar aquella tarde remota en que su padre, José Arcádio Buendía o llevara a conocer el hielo..."
    São tantas recordações...

    ResponderExcluir